Dossiê Airboy

por | dez 24, 2022 | Notícias | 0 Comentários

Airboy é um herói aviador fictício de uma série de quadrinhos norte-americana publicada inicialmente pela Hillman Periodicals durante o período da Segunda Guerra Mundial que os fãs e historiadores chamam de Era de Ouro dos quadrinhos. O personagem foi criado pelos escritores Charles Biro e Dick Wood e pelo artista Al Camy.
 
Com os quadrinhos de guerra perdendo espaço entre os leitores, o personagem desapareceu das publicações até um renascimento dos anos 1980 sob os cuidados de Chuck Dixon, que escreveu novas aventuras para o personagem com uma duração de vários anos. Depois deste período, ele voltou a aparecer intermitentemente sob a supervisão de várias editoras diferentes que, às vezes, apenas atualizavam as mesmas histórias para que fossem mais apetecíveis para os dias atuais.
 
A Trajetória do Personagem: Biografia
O primeiro Airboy foi David (“Davy”) Nelson II, filho de um piloto experiente e, apesar de jovem, ele próprio era um excelente piloto. Seu amigo, inventor e frade franciscano, Irmão Francis Martier, havia criado um protótipo de aeronave altamente manobrável que voava batendo as asas, como um pássaro. Martier, no entanto, foi morto durante o teste da aeronave, e Davy herdou o avião e um uniforme, que aparentemente estava na família de Martier desde a Revolução Francesa. Davy logo foi batizou de “Airboy”, e em seu novo avião aparentemente senciente, chamado “Birdie”, ajudou os Aliados durante a Segunda Guerra Mundial.
 
Airboy confrontou estranhos antagonistas como ratos inteligentes, o misterioso Miséria — cujo Airtomb (“tuma aérea”) aprisionava as almas de pilotos mortos — e seu sensua inimiga nazista, Valquíria, uma aviadora alemã que mais tarde se tornaria seu aliada. Ele também enfrentou um vilão recorrente, o ocultista Zzed.
 
Após a conclusão da Segunda Guerra Mundial, David Nelson II continuou a trabalhar como piloto autônomo e mercenário por algum tempo, mas acabou se aposentando do voo de combate e guardou Birdie em um celeiro fora de sua propriedade na Califórnia. Ele teve um filho, a quem chamou de David Nelson III, e fundou uma empresa de fabricação de aeronaves, por meio da qual ficou muito rico. Em meados da década de 1980, David Nelson II foi assassinado por mercenários da nação sul-americana de Bogantilla. Quando David Nelson III descobriu que seu pai havia sido assassinado, começou a investigar as circunstâncias que levaram à morte de seu pai. Ele logo descobriu o avião e o uniforme desativados de seu pai e se juntou a vários dos caças aéreos sobreviventes para enfrentar muitos dos mesmos inimigos de David Nelson II, bem como ditadores sul-americanos, soviéticos, piratas e criminosos corporativos.
A Trajetória nos Quadrinhos
 
Era de ouro: Airboy estreou em Air Fighters Comics # 2 (novembro de 1942), uma série de antologia apresentando uma variedade de heróis aviadores. A série foi renomeada para Airboy Comics na vigésima terceira edição, vol. 2, nº 11 (dezembro de 1945), e teve 89 edições, até o vol. 10, nº 4 (maio de 1953).
 

Nas primeiras edições, Biro escreveu os roteiros com Dave Wood e desenhou as capas, Al Camy foi o artista inicial da história. Ele foi seguido por Tony DiPreta e, começando com Air Fighters # 10 (julho de 1943), Fred Kida, que se tornaria intimamente associado à série. Ernie Schroeder tornou-se o artista regular em Airboy Comics #vol. 5, #11 (dezembro de 1948) e foi até o final da série, com Dan Barry, Maurice Del Bourgo, Carmine Infantino e outros, fornecendo uma história ocasional. As duas séries consecutivas continham histórias de suporte sobre outros aviadores, incluindo Skywolf, Iron Ace, Back Angel, Bald Eagle, Flying Dutchman, o Flying Foo e o protótipo do monstro do pântano dos quadrinhos, o Heap. O personagem coadjuvante recorrente mais frequente de Airboy foi a aviadora alemã Valquíria, que lutou ao lado do Eixo, mas depois desertou para os Aliados.

Hillman parou de publicar quadrinhos em 1953. Duas edições foram reimpressas em 1973 e uma edição encadernada intitulada Valkyrie!: From the Pages of Air Fighters and the Airboy foi publicada em 1982 pela Ken Pierce Books com cinco histórias da Air Fighters Comics vol. 2 e Airboy Comics vol. 2.
Era moderna: Em 1986, a Eclipse Comics publicou uma nova série chamada Airboy, atualizada para a era moderna, estrelando o filho do personagem original. A série de 50 edições (15 de julho de 1986 a outubro de 1989), que foi publicada quinzenalmente com 16 páginas, até a edição nº 33 (1º de novembro de 1987) e mensalmente depois disso, reintroduziu muitos dos personagens coadjuvantes da série antiga, como Valquíria e um piloto de caça japonês chamado Hirota, e estrelou muitos dos personagens que apareceram como coadjuvantes nos quadrinhos originais. Chuck Dixon escreveu o roteiro com a ajuda ocasional de Tim Truman, com Truman, Ron Randall e Stan Woch como principais ilustradores.
 
Os spin-offs da série da Eclipse incluem os one-shots Airboy–Mr. Monster Special (agosto de 1987), Airboy Meets the Prowler (dezembro de 1987), The Air Fighters Meet Sgt. Strike Special (janeiro de 1988), Target: Airboy (março de 1988), e Airboy vs. Air Maidens (julho de 1988). Spin-offs adicionais estrelaram personagens relacionados: Air Maidens Special (agosto de 1987), estrelado por Black Angel, La Lupina e Valquíria; a minissérie Skywolf (março a outubro de 1988); , o one-shot Valkyrie: Prisoner of the Past (dezembro de 1987), desenhado por Paul Gulacy, e a minissérie de três edições Valkyrie! (julho-setembro de 1988), desenhado por Brent Anderson. Além disso, os Air Fighters co-estrelaram a minissérie de cinco edições Total Eclipse (maio de 1988 a abril de 1989), que apresentava a maioria das estrelas de Eclipse juntas, e o one-shot Total Eclipse: The Seraphim Objective (novembro de . 1988). Prisoner of the Past foi publicada como uma edição de bolso, assim como a série Airboy # 1–5 intitulada The Return of Valkyrie. Prisoner of the Past também foi publicada em uma edição de capa dura.
 
A partir de 1988, a Eclipse também publicou Air Fighters Classics, uma série bimestral de seis edições dedicada à reimpressão das histórias originais da Era de Ouro de Airboy e personagens relacionados.
 
Em 2007, a Moonstone Books anunciou planos para reviver o personagem da Segunda Guerra Mundial em novas histórias escritas pelo escritor Airboy dos anos 1980, Dixon. No entanto, o renascimento não foi impresso até março de 2009, quando Moonstone lançou o one-shot Airboy – 1942: Best of Enemies. Outras duas edições de Airfighters, apresentando Airboy, seguiram em 2010.
 
A personagem Valquíria ficou em 45º lugar na lista das “100 mulheres mais sexy dos quadrinhos” do Comics Buyer’s Guide.
 
Em 2012, a Antarctic Press começou a publicar Airboy: Deadeye de Chuck Dixon, Gianluca Piredda e Ben Dunn.
 
Em 2014, a Image Comics começou a publicar um novo quadrinho de Airboy, escrito por James Robinson e ilustrado por Greg Hinkle. Esta série começa com versões fictícias de Robinson e Hinkle se envolvendo em uma orgia de bebida, drogas e sexo enquanto tentam encontrar inspiração para escrever uma nova série Airboy, apenas para o “verdadeiro” Airboy entrar naquele mundo, para seu horror.
 
Airboy: Deadeye publicada pela Antarctic Press teve cinco edições, essas edições servirão de base para a edição brasileira em volume único da Red Dragon Publisher em versão cartonada e capa dura.